A Luz Dourada

Mais uma vez eu embarcava no trem, era daqueles antigos, com ventiladores no teto sempre a dar o tom à rotina das pessoas, suas conversas, suas inquietações, seus silêncios. Sentei-me à janela que algum passageiro anterior havia aberto o suficiente a convidar o ar primaveril a viajar. Então, lembrei de uns mantras que havia guardado…