A experiência no trem, o dourado no céu, as pessoas, a infinita diversidade ainda reverberavam leves e sutis em meu coração, em cada célula de meu corpo, e ampliavam as planícies dentro de mim, alumiando o solo numa sensação de me expandir num horizonte luminoso de possibilidades.

Foi então que, num bater de asas, conheci um aspirante a guarda vidas, com nome de anjo, que acalentava em seu íntimo a imagem dos campos férteis de sua infância e o desejo tímido, quase secreto de cultivar grãos, honrando sua origem, guardando a vida em si, verdadeiramente.

Assim, da vastidão nostálgica, ascendeu a semente em mim. Além do tempo, além da dualidade, uma só e muitas, pura energia guardada pela criança inocente que em meus olhos sorri faceira para mim.

A uma só vez passado e futuro, os ancestrais que fui e as crianças a nascer, meus anjos, minha família, minha alma, não conhecem o tempo, mas tão somente o amor, o Ser. E nessa vastidão esquecida do Ser, a semente permanecia quietinha, dormindo, aguardando minha permissão para que o olhar de um anjo a fizesse vibrar e reluzir. E aí, em um instante inesperado, meu coração abriu as portas e descobriu sua luz refletida no Sol, o amor amanheceu a vida, a semente despertou, reconheceu o tempo e a forma de germinar.

Agora, o amor segue aquecendo, nutrindo e acolhendo este cerne dourado de mim, minha completude que evolui pouco a pouco, na dança dos entrelaçamentos, no abraço das almas, na finitude do giro de minha consciência, no momento presente.

E assim foi que as energias duais inclinaram-se ao bater de asas, aos ventos espirais da sabedoria, permitindo à inteligência de meu coração, do meu corpo, ora sensível, acolhedor, ser a guia dessa semente em seu germinar, na escolha dos campos, dos modos e meios de cultivar.

Dia a dia, aprendendo a rir na ingenuidade, aquecer-me na ternura do amor, existir na transitoriedade dos sonhos, ouvir os acordes dourados dessa Inteligência que me encanta, torna-se a música do meu viver aqui, neste momento, neste lugar, nesta Gaia plena em fertilidade e benevolência, nesta Gaia Mãe.

Maristela Rohenkohl

Dezembro, 2019.


Toda verdadeira criação traz luz e tem um valor intrínseco em si mesma. Se você estiver sentindo isso em seu coração ao ler meu texto e quiser me apoiar, por favor, clique na árvore ao lado.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s